Piscinas pequenas também exigem cuidados!

Não é segredo que, com o passar do tempo, as prioridades das pessoas mudam. Um bom indicativo disso é a redução no tamanho dos imóveis — nos últimos dez anos, algumas regiões do Brasil registraram uma diminuição média de até 30% na metragem¹. Assim, com quintais cada vez menores, a popularidade de projetos e designs inovadores de piscinas pequenas disparou! E é justamente sobre isso que vamos falar neste artigo.

Afinal, toda essa busca das famílias por ambientes mais práticos e funcionais não significa, necessariamente, que queiram abrir mão do seu lazer ou de seus espaços de repouso. Sem contar que, quando o assunto são as piscinas pequenas, vale lembrar que é possível, sim, criar locais relaxantes e muito charmosos sem abrir mão da funcionalidade!

Piscinas pequenas: saiba otimizar seu espaço

Antes de mais nada, se você está pensando em construir uma piscina em um ambiente com pouco espaço disponível, saiba que fazer um planejamento cuidadoso é ainda mais essencial do que no caso das piscinas “normais”. Se o tamanho já é limitado, é fundamental que ele seja aproveitado da melhor forma possível, não é mesmo?

É por esse motivo que o posicionamento de itens como escadas, luzes, encanamento, motor e bomba precisam ser considerados logo na fase de projeto, quando é muito mais simples e barato identificar problemas em potencial. Uma boa dica é conferir se é possível substituir a instalação de escadas externas de aço por degraus internos, por exemplo.

Dessa forma, além de ganhar espaço no entorno da piscina, esse tipo de projeto ainda contribui para a criação de uma pequena lacuna abaixo dos degraus, que pode servir de ponto de instalação para o motor e para o encanamento ou de dispensa para os seus produtos e equipamentos de limpeza!

Além disso, piscinas pequenas também são grandes aliadas do seu bolso: para enchê-las, o gasto com água será menor. O mesmo vale para o investimento em produtos químicos para tratamento da água. Mas atenção: independentemente do tamanho de uma piscina, lembre-se de que todas elas precisam de tratamento e higienização constantes!

E no caso das piscinas mais compactas, como a concentração de água é menor, as reações químicas vão acontecer de forma muito mais acelerada. Você sabia que o surgimento de algas, por exemplo, é mais comum nas piscinas pequenas do que nas grandes? Isso acontece porque quantidades menores de água ficam muito mais suscetíveis a variações de temperatura. Basta um dia de sol intenso para criar o ambiente perfeito para a proliferação desses organismos!

Mas, em contrapartida, corrigir o problema também é muito simples, já que uma aplicação concentrada de cloro terá um efeito superior. Outro ponto importante é que em piscinas pequenas o processo de aspiração e limpeza das bordas é rápido e descomplicado. Ou seja: criar e cumprir uma rotina de manutenção frequente não vai tomar tanto tempo.

Cuidados com a construção da sua piscina

É verdade que instalar uma piscina com tudo que ela tem direito em um espaço pequeno envolve também alguns desafios. Na maioria dos casos, o projeto vai precisar considerar ângulos, curvas e paredes da área disponível e, por questões de tamanho e formato, as chances de encontrar um modelo pré-fabricado são baixas. Assim, é muito provável que seja necessário construí-la a base de concreto, alvenaria, fibra de vidro ou vinil.

Lembrando que piscinas residenciais pré-fabricadas costumam ter entre 60 centímetros e 1,50 metro de profundidade. Nesse contexto, apostar em um projeto personalizado permite que você escolha a profundidade que quiser! Só tenha cuidado ao optar pelos acabamentos, que precisam ser adequados e seguros, como revestimentos antiderrapantes, laváveis e com ângulos suavizados para evitar acidentes.

Vale destacar ainda que, em muitos aspectos, a sua rotina de cuidados deve ser igual a de qualquer outro proprietário de piscinas. Quando identificar que há sujeira boiando na superfície, passe a peneira e recolha as impurezas antes que elas afundem. Controle os níveis de pH e cloro diariamente ou sempre que eles saírem dos parâmetros ideais e faça a aplicação rotineira de algicida, principalmente antes das chuvas para evitar que a água fique verde.

Na aplicação do cloro, contudo, é preciso ter cuidado redobrado! Afinal, é muito comum que piscinas pequenas tenham formatos especiais e customizados, o que pode causar confusão na hora de calcular o volume de água e, consequentemente, a quantidade correta de cloro para aplicação! Por isso, tenha certeza de definir todas as dimensões e identificar as medidas adequadas do uso de cada solução.

 

Fonte: belpiscinas.com.br